Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Macau Passado

Macau Passado

05
Set10

amigos (1)

João Severino


O autor deste blogue contou com determinados amigos que nas horas difíceis sempre se mostraram disponíveis, entre eles, Carlos Marreiros e Helder Fernando. Carlos Marreiros é o arquitecto macaense de maior prestígio em todo o mundo. Um desenhador e pintor peculiar, de uma cultura imensa e de uma inteligência e criatividade artística como não conheci ninguém. Helder Fernando é um dos melhores jornalistas e radialistas que Macau conheceu. Ele realiza as melhores e mais interessantes entrevistas para um jornal ou ao microfone de uma estação de rádio. Helder Fernando faz parte de um grupo restrito que ficará para todo o sempre no meu canto mais recôndito do agradecimento. Ele sabe o que me fez no Natal de 2009, possivelmente o tempo mais difícil da minha vida.

 


03
Set10

provisória

João Severino



O Leal Senado com a passagem de aministração para a China passou a designar-se por "Câmara Municipal de Macau Provisória". E foi mesmo provisória porque rapidamente lhe arranjaram outro nome, por sinal, algo de absurdo e patético. Aqui vos deixo um convite que a "Câmara Provisória" me enviou para uma exposição de "Transfigurações". Já se adivinhava a transfiguração...

 


02
Set10

edgar martins

João Severino
(capa do convite)

Um dia recebi um jovem no gabinete do meu jornal tal como o tinha feito com tantos outros. O jovem Edgar Martins queria colaborar. A porta foi imediatamente aberta e os seus textos e fotografias surpreenderam os leitores do 'Macau Hoje' pela qualidade patenteada.
Edgar Martins é hoje um dos fotógrafos mais famosos na Europa, particularmente em Inglaterra onde reside, e os seus textos em forma de teorias, teoremas ou projectos editoriais têm um valor de nível superior.
"Entre sombras e vazios" foi o tema da exposição que Edgar Martins apresentou na Galeria da Casa Garden, em Macau, no dia 15 de Junho de 2001.

 


01
Set10

aniversário r.a.e.m

João Severino




O chefe do executivo da RAEM, Edmund Ho, teve a gentileza de convidar o autor deste blogue para as cerimónias do primeiro aniversário da administração da China sobre Macau.
Na oportunidade, Edmund Ho manifestou-me a sua surpresa com o que se passava nos tribunais relativamente à minha pessoa. Tive o ensejo de lhe transmitir que não existia justiça em Macau e que a verdadeira justiça era o dinheiro.

 


Pág. 3/3

Mais sobre mim

foto do autor

Macau pertenceu à administração portuguesa. Essa realidade faz parte dos registos históricos de uma nação que marcou presença nos quatro cantos do mundo. A Oriente, milhares de portugueses viveram como lhes foi possível. Em Macau, a continuidade lusa mantém-se, mas o passado foi muito significativo. Fiz parte desse passado de uma forma intensa. Portugueses, macaenses e chineses, conheci muitas centenas. De alguns guardei as fotografias que memorizam a vivência. Humanos e a urbe macaense completam um espólio fotográfico que possuo de mais de seis mil fotografias e outras mais que ainda devem estar em caixas por abrir. Neste sentido, resolvi ir publicando aqui neste MACAU PASSADO o espólio que for possível. Espero que vos agrade e que possam recordar Macau sem complexos, sem rancores e sem tibiezas. Macau sã assi...

João Eduardo Severino

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2010
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D